11.12.08

A missão do meu irmão

Quem diria...ainda me lembro de brincarmos às guerras com espingardas de madeira, e de ao longe ver-mos os militares fazer treino lá no moinho abandonado...éramos crianças. Hoje as brincadeiras, para ti, tornaram-se realidade, e cá estas tu de partida para a missão da tua vida... Muitos de nós sonhamos com um mundo diferente, mas limitamo-nos a esperar que ele mude sozinho, tu não, tu vais enfrentá-lo de frente, vais tentar melhorar a vida de pessoas que não escolheram nascer num país em guerra, vais fazer sorrir muitas crianças, que se sentirão seguras com a tua presença. Estamos todos muito orgulhosos de ti mano, e vamos ter muitas saudades tuas...(principalmente porque eras tu quem lavava a loiça cá em casa)
Ainda sinto aquele nosso abraço Manel, e eu sei que estamos contigo, dentro do teu coração aí no Kosovo.

4 comentários:

Cathy Oh disse...

Olá! =)

Obrigada pelos teus comentários.
Confesso que depois de ler ali o teu texto sobre a Rita Redshoes me deu vontade de a ouvir. E é exactamente isso que vou fazer a seguir: escrever e ouvir. :P

Quanto ao teu irmão, confesso que este teu post me arrepiou, porque sim, o teu irmão faz parte daqueles poucos que foi 'enfrentar o touro pelos cornos'. É uma analogia um pouco bruta, mas não encontrei melhor eufemismo.
Força para ele!

Desculpa o comentário enorme, mas os meus amigos já dizem que esta é a minha imagem de marca. xD

Beijinho*

Teresa disse...

Olá (outra vez),

Não podia deixar de comentar este Post. É lindo ver tamanho orgulho nas tuas palavras!... E saber que, realmente, existem pessoas que não ficam à espera que o mundo mude sozinho. Fazem por isso!

Beijinhos... tb ao teu irmão,

T

Catarina disse...

Gostei bastante deste post!
Admiro bastante pessoas como o seu irmão, salvam vidas ultrapassando por grandes perigos

izzie disse...

Olá...

Encontrei o teu cantinho através da Lita e pensei... "Gostei do nome... vou espreitar e dizer qualquer coisita no post mais recente".
Mas... todos são bons e afinal vou comentando... por isso não estranhes se de uma vez... receberes uns quantos.

Gostei da ligação entre o passado e o presente... mas gostei sobretudo do orgulho e amor que senti nas tuas palavras :)

Beijo